Buscar
  • odontocedroni

Heloísa Perissé descobriu câncer no dentista

A atriz contou em entrevista ao médico Dráuzio Varella no programa “Fantástico” desse último domingo sobre como descobriu o câncer. Percebam a importância que uma consulta odontológica bem feita pode ter na vida de uma pessoa. No caso da atriz Heloísa Perissé, 53 anos, fez grande diferença no diagnóstico precoce de um câncer nas glândulas salivares.

Segundo a entrevista, Heloísa foi ao dentista fazer um clareamento dental de rotina e há algum tempo estava sentindo uma “bolinha” na região da bochecha. O médico Dráuzio Varella fez todas as perguntas iniciais da entrevista como se deve fazer para um bom diagnóstico de lesões desse tipo: “Doía? Sangrava?”. Lesões que não doem, não sangram e não vão embora após 15 ou 20 dias DEVEM SER examinadas por um dentista. No caso, seu dentista foi muito assertivo em decidir logo por fazer a biópsia da “bolinha” e mandar para um estudo anatomopatológico.


Todos sabemos que, atualmente, o diagnóstico precoce é a chave para o sucesso na cura (ou remissão) de qualquer tipo de tipo de câncer. As chances da bolinha ser um tumor eram pequenas, mas reais. No caso da atriz, infelizmente o exame deu alteração e ela foi procurar um oncologista especialista em cabeça e pescoço para dar seguimento ao seu tratamento que teve rádio e quimioterapia.


Por essas e outras que sempre bato na tecla da consulta de avaliação e do tempo de consulta que temos com nossos pacientes no dia-a-dia corrido. Vejam a importância de visitas frequentes ao dentista. Visitas mesmo quando não há dor ou dentes quebrados, ou tortos ou amarelos. Visitas de prevenção. São as mais importantes de todas.

Diagnosticar um câncer como esse precocemente pode significar a diferença entre a vida e a morte, entre uma grande amputação ou um tratamento mais conservador.


Heloísa completa que mais tarde acabou também sentindo um caroço endurecido no pescoço. Sem querer, essa atitude chama toda a atenção para o auto-exame. A gente precisa se olhar de vez em quando. Parar em frente ao espelho, abrir a boca, colocar a língua para fora e olhar. Sentir, tocar, apalpar bochechas, lábios, língua, levantar os lábios e ver as gengivas. Palpar pescoço. Isso serve tanto para o câncer bucal e arredores, como para o câncer de mama. O auto-exame junto com consultas de prevenção com médicos e dentistas é a diferença entre o diagnóstico precoce e o tardio.

Enfim, num mundo em que a liberação da propaganda com imagens do estilo “Antes e Depois” e com a consolidação da Harmonização Orofacial, acabou tornando a Odontologia algo muito mais estético do que uma preocupação com a saúde. Heloísa Perissé já havia notado a tal “bolinha” na bochecha. Ela disse que perguntava a amigos e familiares e eles diziam que “não era nada”. Preste atenção nesses sinais. Sempre suspeite de “bolinha” que não some, não dói, não sangra, aumenta de tamanho com o tempo e não some sozinha após 15 ou 20 dias. Procure seu dentista para prevenção. Desejamos boa sorte, pronta recuperação e vida longa a Heloísa Perissé.


Fonte: dicasodonto

2 visualizações0 comentário